Blog Inclusão Diferente

Últimas notícias ➞
Carregando...

Destaques

Lei obriga cinemas do BRASIL a exibirem conteúdo para deficientes auditivos e visuais

Lei obriga cinemas do BRASIL a exibirem conteúdo para deficientes auditivos e visuais. Em novembro deste ano 2017, passa a vigorar a Instrução Normativa 128/2016, da Agência Nacional do Cinema (Ancine), que obriga os cinemas a adaptarem os conteúdos dos filmes em formato de audiodescrição, closed caption (legenda) e LIBRAS (Linguagem Brasileira de Sinais) para deficientes auditivos e visuais.

As principais soluções criadas com este objetivo estarão expostas na Expocine – maior exposição voltada ao mercado do cinema na América Latina e segunda maior do mundo -, entre os próximos dias 27 e 29 de setembro no Centro de Convenções Frei Caneca, na capital paulista. 

O evento também contará com uma palestra sobre o tema no dia 28, ministrada por Guido Lemos (Assista Tecnologia), Luciano Taffetani (Diretor de Vendas, Dolby) e Maurício Hirata Filho (ANCINE).


Lei obriga cinemas do BRASIL a exibirem conteúdo para deficientes auditivos e visuais

“O mercado precisou se movimentar para criar tecnologias capazes de incluir os cegos e surdos nestes espaços, mas sem interferir na experiência dos demais espectadores. Foi um desafio muito grande e cujas soluções encontradas tornaram o Brasil referência mundial em acessibilidade de conteúdo nos cinemas. 

Países como Inglaterra, Estados Unidos e França, por exemplo, que também estão passando por este processo, voltam os olhos voltados para cá e as nossas empresas passaram a dar consultorias lá fora sobre isso”, afirma Marcelo Lima, diretor da Expocine.

Dispositivos colocados nas poltronas para o espectador ler as legendas closed caption, óculos eletrônicos que exibem nas lentes a imagem do intérprete ou o texto das legendas, aplicativos de celular que amplificam o áudio do filme e ferramentas que fornecem a audiodescrição em tempo real são algumas das tecnologias que serão expostas na Expocine.


“Adaptar os filmes significa ter acesso a eles antes da sua chegada aos cinemas. E num mercado bilionário, repleto de superproduções Hollywoodianas e distribuidoras extremamente receosas com o vazamento destes materiais, esta questão precisou ser analisada com um cuidado muito especial. E nossas empresas deram conta de usar a tecnologia para solucionar isso”, diz Lima.

Para o diretor da Expocine, os cinemas tendem a se beneficiar dessa mudança na legislação a médio e longo prazos, à medida que se abrem para um público de cerca de 7,2 milhões de deficientes visuais e 2,2 milhões auditivos, de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Porém, o curto prazo para se adaptar à obrigatoriedade e a falta de apoio financeiro do governo federal têm causado preocupação às redes de cinema do País.

“Trata-se de uma mudança que gerará um alto custo e nem todas as redes estão preparadas financeiramente para isso, sobretudo as pequenas e médias. Ainda mais após o alto gasto com a digitalização de seus cinemas cinemas”, explica Lima.
Fonte: Cinepop
16 frases ainda comuns ditas para pessoas com deficiência

16 frases ainda comuns ditas para pessoas com deficiência. Muitas pessoas com deficiência e mobilidade reduzida tornam-se involuntariamente motivo de frases relacionadas à sua deficiência. O repertório abrange desde afirmações com base na admiração e lástima à interjeições com suposto humor nonsense e sentido pejorativo.

Quem nunca ouviu um comentário ácido sobre a deficiência do colega? Ou aquele elogio sobre a superação inesperada? Não sei a proporção de um para o outro, o que sei é que isso acontece em todos os lugares na presença e ausência de pessoas com ou sem deficiência.

Ainda que a valorização da diversidade tem conquistado cada vez mais espaço no convívio diário, a tendência de novas percepções parece que não é o suficiente para responder à um emaranhado de dúvidas e especulações fundamentadas apenas na observação.

“O Maior inimigo do conhecimento não é a ignorância. É a ilusão de conhecimento.” Stephen Hawking

Deficiência X Crenças sobre deficiência

Considerar a deficiência como algo que confere um status de “desvantagem” em nossa sociedade é um assunto amplo que sempre mostrará uma dicotomia.

De um lado, aqueles que acreditam que a deficiência resulta em privações múltiplas configurando em infelicidade eterna e, de outro, aqueles que a consideram como uma característica que pode interferir positivamente no temperamento, conquistas e experiências do indivíduo. Pouco a pouco um novo cenário está se estabelecendo na sociedade.

O empoderamento das pessoas com deficiência, leis, compartilhamentos nas redes sociais e empresas especializadas no segmento são parte integrante deste panorama. No entanto, durante o processo para uma nova consciência, crenças relativas à comiseração e piedade perduram no imaginário alheio. 

Crenças consolidadas desde tempos longínquos onde a deficiência era associada à incompatibilidade com uma vida saudável, plena e feliz.

16 frases ainda comuns ditas para pessoas com deficiência

A propósito, você sabe o que é crença?

Segundo o dicionário Houaiss, “crença é o estado ou condição de quem acredita em alguma coisa ou pessoa; convicção profunda”. (1)

Traduzindo: crença é tudo o que acreditamos e cultivamos como verdade.

A formação das crenças inicia com um conceito prévio baseado no que sentimos sobre determinado assunto. Isso envolve nossos valores e a maneira como percebemos a vida, as pessoas, os acontecimentos e o mundo.

Com o tempo, potencializamos e gradativamente aquilo vai ficando cada vez mais forte dentro de nós. Quando vemos, estamos agindo e reagindo fundamentados em nossas crenças.

Veja exemplos comuns de crenças quando o assunto é dinheiro, trabalho, convivência e felicidade.

☛ Crenças sobre dinheiro: “Tudo que toco vira ouro”, “Ganhar dinheiro não é fácil”
☛ Crenças sobre convivência: “Conviver com pessoas é desafiador, mas eu gosto”, “Prefiro bicho a gente”
☛ Crenças sobre trabalho: “Realizo-me com meu trabalho”, “Tenho que matar um leão por dia”
☛ Crenças sobre felicidade: “Sou feliz pela vida que tenho”, “Só serei feliz o dia que eu comprar a casa e o carro dos meus sonhos”

Frequentemente quando o assunto relaciona-se a pessoas com deficiência, a maioria das crenças tem como premissa dois extremos: admiração e piedade.


Talvez você não parou para pensar nisso, mas certamente já presenciou alguma situação onde esses dois sentimentos vieram a tona em palavras ou olhares. Em minha pesquisa Crenças corporativas sobre pessoas com deficiência (2012/2013), entrevistei 300 colaboradores com deficiência auditiva, física, intelectual e visual de empresas públicas e privadas.

O objetivo foi identificar as crenças sobre pessoas com deficiência em ambiente corporativo, as maiores dificuldades e os aspectos que podem contribuir para o desenvolvimento da pessoa com deficiência na empresa.

Durante a pesquisa, os participantes relataram diversas experiências vividas dentro e fora do ambiente de trabalho bem como frases comuns que ouviram com base em sua deficiência. A pesquisa foi realizada há cinco anos. De lá para cá muitas coisas estão acontecendo, principalmente no sentido de tecnologias assistivas, comportamento e visibilidade das pessoas com deficiência.

Vale dizer que o desenvolvimento da consciência inclusiva não ocorre na mesma velocidade. Sabemos que qualquer mudança coletiva do comportamento humano acontece a passos lentos quando comparamos à tecnologia e ciência. Uma boa notícia é que estamos mudando nossa maneira de ver a deficiência e entendendo nosso papel para a materialização de um mundo inclusivo.

16 frases ainda comuns ditas para pessoas com deficiência

Frases X Deficiência

Neste primeiro artigo, compartilho 16 frases recorrentes que, segundo os entrevistados, a maioria das pessoas com deficiência já se deparou em algum momento da vida ou até mesmo diariamente. Evidente que há frases focadas em uma deficiência em particular. No entanto, a maioria parece comum a pessoas que tenham qualquer tipo de deficiência.

Ressalto que na opinião dos entrevistados, as afirmações e perguntas a seguir são dispensáveis e por vezes inconvenientes, pois corrobora o desconhecimento de suas capacidades e habilidades.

Preparados? Vamos lá então para as 16 frases ainda comuns ditas para pessoas com deficiência!

1. Eu olho para você e me dá uma pena!
2. Você é uma inspiração para a nossa equipe!
3. Seu marido (ou esposa) é igual a você ou é normal?
4. Como você consegue namorar mesmo sendo deficiente?
5. Você é um exemplo de superação!
6. Eu acho que você só foi contratada (o) por causa da cota!
7. Nossa, ele (a) nem parece surdo (a)!
8. Você não tem vontade de sair andando e deixar a cadeira de rodas para trás?
9. Para mim, todas as pessoas com deficiência são mais evoluídas que as pessoas sem deficiência.
10. Só você nasceu assim na sua família?
11. Imagino o fardo que é para você estar sentado (a) numa cadeira de rodas para sempre.
12. Seu namorado é anão também?
13. Desculpa, mas eu acho que você está pagando alguma coisa que você fez na sua vida passada.
14. Como você faz na hora do sexo?
15. Acho difícil alguém ser feliz sendo deficiente.
16. Porque você não solta o cabelo para esconder o implante (coclear) ou aparelho?

Na prática, para boa parte da sociedade, a deficiência ainda “sobrepõe” a personalidade e capacidades de um indivíduo


16 frases ainda comuns ditas para pessoas com deficiência

É como se a deficiência ou mobilidade reduzida fosse mais impactante que as demais características que compõem um ser humano.

Embora muitas ações são realizadas promovendo ou tentando promover inclusão, penso que ainda estamos nos integrando, conhecendo uns aos outros, o que não significa que praticamos a inclusão.

À medida que o processo de inclusão estiver presente em todos os setores, as frases acima tendem a deixar de serem comuns, pois estaremos falando de uma sociedade esclarecida nesse tema. No entanto, o processo é longo e baseia-se não somente na construção de rampas, mas principalmente numa consciência inclusiva. E ai pessoal o que acharam dessas 16 frases ainda comuns ditas para pessoas com deficiência?
Por Martim Pinto: Fisioterapeuta especializado em reabilitação neurofuncional e apaixonado pelas questõesrelacionadas ao comportamento humano e inclusão social
A Deficiência não Impede que a Mulher seja Mulher!!!
A Deficiência não Impede que a Mulher seja Mulher!!! Hoje o assunto é mulher. Leio muita coisa sobre o tema, pois a mulher é complexa, o que não falta é assunto relacionado a mulher, tais como, moda, beleza, menstruação, ginecologista, sexualidade, trabalho, corpo, gravidez, dentre outros...

A Deficiência não Impede que a Mulher seja Mulher!!! O mundo da mulher é vasto e a nossa sociedade sabe disso e explora isso muito bem. Agora, o que eu não vejo é assuntos sobre a mulher com deficiência, como sempre né? A pessoa com deficiência não é vista como um sujeito que faz parte da sociedade, que tem que participar ativamente!!! 

Uma mulher com deficiência tem que ir ao ginecologista, e então como se faz isso? Não, não é indo em qualquer um, pois tem diversos profissionais que não sabem como lidar com a deficiência. Alguns vão simplesmente ignorar, outros vão mandar a paciente procurar outro médico, uns vão falar besteiras e assim vai..... E aí a mulher com deficiência não consegue se cuidar?



Parece que o hospital Pérola Byington tem esse serviço, vou deixar aqui o site para quem precisar e para que vocês divulguem!!!! Ah, se alguém já usou esse serviço, por favor conte como foi ou se sabem de outros lugares que atendam mulher com deficiência, fala para a gente divulgar...

☛ Site do hospital Pérola Byington: Acesse aqui.

Falar agora sobre beleza, mais especificamente, salão de beleza. Nossa, já fui em cada salão, que me olhavam com uma cara de assombração, o que este ser quer fazer aqui??? Ué, sou mulher, quero cortar o meu cabelo, fazer reflexo, a unha, sobrancelha, depilação, qual é o problema? O problema é que as pessoas não olham o sujeito com deficiência como um ser humano comum! 

Os salões de beleza deviam ser preparados para receber a pessoa com deficiência, em todos os sentidos, no atendimento, na acessibilidade, não conheço um salão acessível!!! Poxa, a mulher com deficiência quer se cuidar, como qualquer um.

☛ Quer receber artigos como esse direito no seu e-mail? Assine o blog agora é grátis.


Moda, eu já ouvi tanta gente falar em relação a mim, usa qualquer coisa, uma calça de moletom tá bom, afinal você tem uma deficiência e precisa facilitar, roupa é um detalhe para você!!!!! O sua cara pálida, você veste qualquer coisa? A roupa para você é mesmo apenas um detalhe?  Pô, que sacanagem!!! Que mulher que não gosta de ser arrumar?

Outra coisa, podia ter modelos com deficiência, afinal estamos ai, no mundo, na sociedade, consumimos, alias, eu adoro comprar!!! Corpo, gente esta é uma coisa que eu sinto muita falta!!!!! Hoje, o que mais se fala é de dieta, malhar, ter uma vida saudável. As academias, os parques estão cheios, a mídia foca nisso demais, a internet, o que tem de gente ficando formosa só porque dá dicas saudáveis!!! 

E ai eu te pergunto, e a gente, que tem alguma deficiência, como fica? Eu particularmente, me cuido, faço dieta. Adoraria fazer mais pelo meu corpo, malhar, no entanto ainda não encontrei uma academia acessível, com profissionais preparados para as minhas necessidades. E aí, como faz? Por que a mulher com deficiência não pode trabalhar o corpo?

A Deficiência não Impede que a Mulher seja Mulher!!!

A Deficiência não Impede que a Mulher seja Mulher!!!

Vamos falar agora sobre gravidez, poderia ter falado junto com o ginecologista, mas não quero falar agora sobre o médico, mas sim sobre a reação das pessoas quando se deparam com uma mulher com deficiência grávida. Gente, estou passando por isso neste momento, estou grávida de 7 meses e já vi cada coisa. Tem gente que acham um absurdo, outras ficam chocadas, umas indagam: Como assim? Você tem relação sexual? Respondo: Não fiz sozinha!!!! 

E na rua, me olham como se tivesse sido abusada. Estou tão feliz, que a felicidade está estampada no meu rosto e o pessoal ignora tanto a pessoa com deficiência que nem sequer percebe que é uma mulher comum, que está grávida, gerando uma vida, que isso é mágico, incrível!!!  Precisamos falar mais e mais sobre a mulher com deficiência, há milhares de tabus que precisam ser quebrados.

Se fala tanto de mulher e sabemos da necessidade disso e por que deixam a mulher com deficiência de lado, nas margens? Levantem mais questões sobre a mulher com deficiência, para a gente conversar, pensar, tirar dúvidas.. Estamos aqui no blog para isso! 
Artigo exclusivo, escrito pela nossa colaboradora Carolina Câmara, do blog um sonho a mais não faz mal. 

Você Conhece o Cadastro Único? Sem ele você vai Perder seu Benefício!!!

Você Conhece o Cadastro Único? Os idosos acima de 65 anos e as pessoas com deficiência que recebem o BPC (Benefício da Prestação Continuada) precisam realizar o cadastramento ou atualizar os dados no CadÚnico (Cadastro Único). 

Os beneficiários já estão recebendo cartas do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário solicitando que compareçam ao Cadastro Único desde o início do ano, seguindo os meses de aniversário de cada beneficiário.Se você ainda não recebeu a cartá, procure Cadúnico da sua região ou Centro de Referência da Assistência Social (CRAS). o mais rápido possivel.

“Nossa preocupação é que se eles não realizarem a inscrição no cadastro, terão o benefício suspenso em janeiro de 2018. Não queremos que isso aconteça porque será um impacto financeiro para estes beneficiários, já que estamos falando de famílias em situação de baixa renda”, explicou a secretária de Desenvolvimento Social e Cidadania, Mileni Maria Arantes Varisi.


Você Conhece o Cadastro Único? Sem ele você vai Perder seu Benefício!!!

O BPC é um benefício da Política de Assistência Social, individual, não vitalício e que garante o pagamento mensal de um salário mínimo à pessoa idosa, com 65 anos ou mais, e à pessoa com deficiência, de qualquer idade, com impedimentos de longo prazo, de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, que comprove não possuir meios para prover a própria manutenção nem de tê-la provida por sua família.

Para ter direito ao benefício, é necessário ter renda familiar per capta inferior a um quarto de salário mínimo – ou seja, R$ 234,25 per capta. Por ser um benefício assistencial, não é necessário ter contribuído ao INSS para ter direito ao BPC.

Para realizar a inscrição/atualização do cadastro, o beneficiário deve comparecer ao CadÚnico da sua região, ou Centro de Referência da Assistência Social (CRAS). Com os documentos de todos os moradores da casa, principalmente o CPF. A inscrição no Cadastro Único, além de manter o BPC, permite o acesso a vários outros programas sociais, como a Tarifa Social de Energia Elétrica e a Carteira do Idoso.
Fonte: AC - Assessoria de Comunicação
Não Esconda sua Deficiência, Ela é Parte de Você

Não esconda sua deficiência. O "mundo da deficiência" é vasto, porém poucas pessoas o conhecem, infelizmente. Por essa razão, atualmente diversas pessoas com deficiência estão fazendo um movimento de mostrar para a sociedade este mundo paralelo ainda muito pouco conhecido e por isso é alvo de tanto preconceito.

Não Esconda sua Deficiência, Ela é Parte de Você

Não esconda sua deficiência. Ela é parte de você. Eu disse que pessoas com deficiência estão fazendo este movimento, mas deixa eu acrescentar as famílias que hoje também não aceitam qualquer coisa como se fosse um favorzinho como se aquela pessoa com deficiência não fosse um sujeito com os mesmos direitos e deveres que qualquer outra.

Leia Também
Claro que ainda estamos engatinhando, estamos muito longe do ideal. Não sei se um dia vamos chegar à verdadeira inclusão na qual a deficiência vai sim ser vista, mas não como um defeito!!! Bom, isso é um assunto para outro post, pois é uma discussão longa e válida...

Falei do movimento que as pessoas com deficiência estão construindo em busca da inclusão, de poder ter uma vida comum. No entanto, o texto de hoje é justamente o oposto. Vou tratar das pessoas com deficiência que por algum motivo escondem sua deficiência.

Não esconda sua deficiência. Vamos enumerar alguns motivos pelos quais muitos se escondem. Evidente que vou esquecer vários, então me ajuda. Caso saiba de mais algum, deixa nos comentários, por favor, para a gente aumentar a discussão e refletir cada vez mais... Vamos lá então... Não aceita a própria deficiência por:

Vamos lá então:
  • Medo;
  • Fuga;
  • Família;
  • É castigo mesmo, não tem jeito; 
  • Ah, nem tenho deficiência 
  • Não gosto deste assunto “deficiência”;
  • Nada vai mudar mesmo;
  • Não vou ficar livre da deficiência.
E assim vai ... São inúmeros os motivos pelos quais uma pessoa esconde a sua deficiência. O não aceitar a deficiência é o mais comum, o mais difícil, a dor que todo mundo nessa condição deve vivenciar uma vez na vida. Já falamos da importância dela aqui no blog. Agora só quero falar para quem não esconde a deficiência que essa etapa precisa estar bem resolvida.


E aí, é fato, quando você olha para a sua deficiência, você fala dela sem censura, francamente. Inclusive você é capaz de seguir a sua vida conforme seus desejos, planos, sonhos…

Medo, eita, este paralisa!!! A gente acredita que o outro vai ficar falando assim, assado da nossa deficiência, vão ficar olhando para a gente, criticando. Tem momentos que a gente acha que é melhor não sair de casa, pois não vamos aguentar o preconceito, a discriminação, a total exclusão.

Aqui também cabe o castigo, como tem gente que acha que a deficiência é castigo sei lá do que, de outras vidas ou que o corpo é possuído por um demônio!!! É uma palhaçada, mas que faz toda a diferença tanto para a pessoa com deficiência que acredita nisso e por isso tem vergonha da sua deficiência, como também para uma parcela da sociedade que não vê ali um ser humano e sim demônios ou coisas do gênero, absurdos…

Fuga, a pessoa com deficiência não enxerga a própria deficiência, procura sempre uma desculpa para ela. Aqui a pessoa claramente esconde a deficiência e ela mesma dentro do armário e sofre muito, pois nem ela percebe o que está fazendo. Família, esse é o X da questão.

É um dos maiores motivos que faz com a pessoa com deficiência esconda ou não a deficiência. Se for uma família que esconde a pessoa com deficiência, tem vergonha dela, sempre a deixou às margens do mundo, sem dúvida essa pessoa também vai escolher a deficiência e, consequentemente, se esconder!!!

Ah, nem tenho deficiência... Muitas pessoas têm pensamentos semelhantes a esse. Isso pode ocorrer pelo fato de a deficiência não ser algo que realmente atrapalhe sua vida. Tem gente que até consegue esconder de fato.

Podemos citar como exemplo o Rei Roberto Carlos, que usa uma perna mecânica praticamente imperceptível. Ele sempre usa calça quando aparece em público e eu, pelo menos, nunca ouvi o cantor falando sobre sua deficiência. Não estou criticando, não sei como ele lida com a deficiência.

No entanto, me parece que ele não levanta nenhuma bandeira em relação ao assunto. E aí eu fico pensando: ok, é um direito dele não querer falar sobre essas questões, é uma escolha dele, mas ele é uma pessoa que tem voz, que se falasse sobre deficiência, talvez o pessoal começasse a refletir sobre o tema e isso iria ajudar muita gente...

Outra pessoa pública que tem uma deficiência e também parece que não fala sobre o assunto é o cantor Herbert Vianna, que sofreu um acidente e ficou paraplégico. Ele usa cadeira de rodas, faz shows com a sua banda Paralamas do Sucesso. A sua deficiência é visível, ele também poderia trabalhar as questões ligadas à deficiência, ia ajudar demais, porém, como já disse, é um direito deles…

Você pode ter uma deficiência e ter uma vida comum, como os dois cantores parecem ter, e não falar sobre o tema. Todavia, não deixa de ser uma forma de esconder a deficiência dentro do armário. A questão aqui é: como você lida bem com algo que é seu, mas que você não olha para aquilo?
Passe Livre Interestadual para Deficientes - O Guia Definitivo

Passe Livre Interestadual para Deficientes - O Guia Definitivo. Nós do Blog Inclusão Diferente, temos o compromisso de levar até você informações de qualidade no cenários das pessoas com deficiência, e nessa postagem queremos trazer até o você um guia definitivo para você tirar o seu passe livre interestadual para deficientes. Então vamos lá, não esqueça de compartilhar esse assunto com a galera, valeu!

Com o Passe Livre Interestadual para Deficientes em mãos, você vai poder viajar por todo o país gratuitamente.

Quem tem direito ao Passe Livre Interestadual para Deficientes?

Pessoas com deficiência física, intelectual, auditiva ou visual comprovadamente carentes.

Quem é considerado carente?

Aquele com renda familiar mensal per capita de até um salário mínimo. Para calcular a renda, faça o seguinte:

Veja quantos familiares residentes em sua casa recebem salário. Se a família tiver outros rendimentos que não o salário (lucro de atividade agrícola, pensão, aposentadoria, etc.), esses devem ser computados na renda familiar. Some todos os valores.

Divida o resultado pelo número total de familiares, incluindo até mesmo os que não têm renda, desde que morem em sua casa. Se o resultado for igual ou abaixo de um salário mínimo, o portador de deficiência será considerado carente.

☛ Quer receber artigos como esse direto no seu e-mail gratuitamente? Assine o blog.

Passe Livre Interestadual para Deficientes - O Guia Definitivo

Quais os documentos necessários para solicitar o Passe Livre Interestadual para Deficientes?

1. Cópia de um documento de identificação. Pode ser um dos seguintes:

certidão de nascimento;
certidão de casamento;
certidão de reservista;
carteira de identidade;
carteira de trabalho e previdência social;
Título de eleitor.

2- Laudo médico reconhecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS), comprovando a deficiência ou incapacidade do interessado. 

Requerimento com declaração de que possui renda familiar mensal per capita igual ou inferior a um salário mínimo nacional.

Atenção: Quem fizer declaração falsa de carência sofrerá as penalidades previstas em lei.

Como solicitar o Passe Livre Interestadual para Deficientes?

Acesse e baixe no computador os formulários no site do Ministério dos Transportes
(http://www.transportes.gov.br/). Preencha-os e anexe um dos documentos relacionados. Uma vez preenchidos, os formulários devem ser enviados ao Ministério dos Transportes ao seguinte endereço: Ministério dos Transportes, Caixa Postal 9600 – CEP 70.040-976 – Brasília (DF). Neste caso, as despesas de correio serão por conta do beneficiário.

Outra alternativa é escrever para o endereço acima citado, solicitando e informando o seu endereço completo para que o Ministério dos Transportes possa lhe remeter o kit do Passe Livre Interestadual para Deficientes. Após a análise das informações, a carteira do Passe Livre será emitida pelo Ministério dos Transportes e enviada para o endereço que você indicar.

Observação: Se as vagas no transporte escolhido já estiverem preenchidas, a empresa tem obrigação de reservar a sua passagem em outra data ou horário. Caso você não seja atendido, faça a sua reclamação pelo telefone (61) 2029.8035. Horário de funcionamento: das 8h às 17h.



Formulários para solicitação do Passe Livre:
http://www.transportes.gov.br/direto-ao-cidadao/passe-livre/2-uncategorised/2761-formulariospara-requisicao-passe-livre.html

Informações:

Telefone: (61) 2029.8035
Site: http://www.transportes.gov.br/
Atenção: Não aceite intermediários. Você não paga nada para solicitar o Passe Livre.

Quais os tipos de transporte que aceitam o Passe Livre Interestadual para Deficientes?

Transporte coletivo interestadual convencional por ônibus, trem ou barco, incluindo o transporte interestadual semi-urbano. O Passe Livre do Governo Federal não vale para o transporte urbano ou intermunicipal dentro do mesmo estado, nem para viagens em ônibus executivo e leito.

☛ Quer receber artigos como esse direto no seu e-mail gratuitamente? Assine o blog.

Como conseguir autorização de viagem nas empresas?

Basta apresentar a carteira do Passe Livre do Governo Federal junto com a carteira de identidade nos pontos-de-venda de passagens, até três horas antes do início da viagem. As empresas são obrigadas a reservar, a cada viagem, dois assentos para atender às pessoas portadoras do Passe Livre do Governo Federal.

Atenção: Se as vagas já estiverem preenchidas, a empresa tem obrigação de reservar a sua passagem em outra data ou horário. Caso você não seja atendido, faça a sua reclamação pelo telefone (0xx61) 3315.8035.

O Passe Livre Interestadual para Deficientes dá direito a acompanhante?

Quando for comprovado, por laudo médico, que a presença de acompanhante é imprescindível para locomoção do beneficiário do Passe Livre, o acompanhante também terá o direito garantido. Nesse caso, a carteira do beneficiário do Passe Livre deverá trazer a indicação “necessidade de acompanhante”.

O acompanhante também deve comprovar que não possui condições financeiras para custear sua passagem, usando o mesmo cálculo de renda per capita utilizado para concessão do benefício à pessoa com deficiência

Informações e reclamações:

Posto de atendimento – SAN Quadra 3 Bloco N/O térreo – Brasília/DF
Telefone: (61) 3315.8035
Caixa Postal – 9.800 – CEP 70.040-976 – Brasília/DF
e-mail: passelivre@transportes.gov.br

☛ Saiba mais sobre leis e direitos dos deficientes, clicando aqui.
Fonte: Site do Ministério dos Transportes
O Aumento de 25% na Aposentadoria por Invalidez: Como Funciona

O valor da aposentadoria por invalidez do segurado que necessitar da assistência permanente de outra pessoa será acrescido de 25%. O aumento foi aprovado pelo projeto de Lei Nº 8.213/1991. O aumento é concedido, quando o aposentado comprovar que necessita da assistência permanente de outra pessoa, para auxílio em atividades básicas do dia a dia.

Para ter direito a aposentadoria, o segurado deverá ter contribuído no mínimo 12 vezes com a Previdência Social. Confira abaixo mais detalhes sobre como funciona este benefício da aposentadoria pelo INSS para segurados considerados inválidos.

☛ Quer receber artigos como esse direto no seu e-mail gratuitamente? Assine o blog.

Como funciona

O trabalhador que possui qualidade de segurado da Previdência e não consegue exercer atividade trabalhista que possa garantir sua subsistência, poderá garantir o benefício de Aposentadoria Por Invalidez. Este benefício será concedido inicialmente como auxílio doença, podendo se transformar em benefício permanente de aposentadoria, caso o segurado demonstre incapacidade de voltar ao trabalho.

Quando se é identificada a incapacidade total e definitiva para voltar ao trabalho, o segurado deixa de receber o auxílio doença e passa a ter direito a aposentadoria por invalidez. A concessão do benefício se dará mediante perícia médica legal, executada pelos profissionais da Previdência Social – INSS – Instituto Nacional de Seguridade Social.

Valor da aposentadoria

Os segurados que forem qualificados com a aposentadoria por invalidez, terão direito renda mensal correspondente a 100% do salário de benefício, que é considerado como as 80% maiores contribuições desde julho de 1994.

Quando o trabalhador está recebendo o auxílio doença, o valor da aposentadoria será exatamente o mesmo deste benefício concedido anteriormente.

Aumento de 25%

Conforme previsto na Lei Nº 8.213/1991, o segurado terá um aumento de 25% em seu benefício, caso comprove que precise de ajuda permanente de terceiros para se manter. Este reajuste deverá ser comprovado com perícia e análise do INSS.

O acréscimo de 25% para auxílio de terceiro será concedido também nos casos em que o segurado atinge o teto máximo de salário de aposentadoria. O benefício também terá um novo valor sempre que houverem reajustes e acréscimos.

O aumento será cancelado quando acontecer o falecimento do segurado aposentado, deixando de fazer parte da pensão por morte para os dependentes.

Cancelamento da aposentadoria

O segurado que estiver conseguido o benefício da aposentadoria por invalidez e voltar a exercer atividade remunerada, terá seu benefício cancelado imediatamente a partir da data do início de trabalho.

Vale lembrar que o aposentado poderá ser convocado pelo INSS para uma nova perícia de avaliação de sua situação, caso seja comprovada a capacidade de voltar ao trabalho, o benefício será cessado de forma definitiva.

Caso não saiba seu tempo de contribuição, veja aqui como consultar seu extrato do INSS online.

Para maiores questões e dúvidas sobre benefícios da aposentadoria, entre em contato, aproveite e comente o artigo, sua participação é muito importante para nós.

☛ Saiba mais sobre leis e direitos dos deficientes, clicando aqui.
Fonte: Aposentadoria Inss
LOAS: Conheça o Benefício de R$937 por mês do INSS para quem nunca contribuiu

Milhares de brasileiros podem ter direito a um salário mínimo por mês, mesmo que nunca tenha feito contribuições ao INSS. O benefício chamado de BPC/LOAS – Benefício da Prestação Continuada da Lei Orgânica da Assistência Social, garante o pagamento de R$937 (salário atual) para quem cumpre as regras previstas em lei.

Tem direito a receber o benefício do BPC/Loas, idosos de baixa renda que possuem 65 anos de idade ou mais e também os portadores de deficiência física, mental, intelectual ou sensorial de qualquer idade. A previdência exige ainda que a renda per capita não ultrapasse um quarto do salário mínimo.

Aqueles que se enquadram nesses requisitos, tem direito a receber o salário mensal sem possuir contribuições com a Previdência Social. Confira logo abaixo mais detalhes sobe o LOAS, confira de forma detalhada quais são as regras para ter direito e com receber o benefício. Fique atento e compartilhe com seus amigos e familiares, pois os mesmos podem estar perdendo a chance de receber este dinheiro da previdência.

☛ Quer receber artigos como esse direto no seu e-mail gratuitamente? Assine o blog.


LOAS: Conheça o Benefício de R$937 por mês do INSS para quem nunca contribuiu


O que é LOAS

O LOAS é um benefício assistencial ao Idoso e à pessoa com deficiência, que integra a Lei Orgânica da Assistência Social e que é pago pelo INSS – Instituto Nacional de Seguridade Social. O valor é do benefício é de um salário mínimo vigente, que no ano de 2017, vale R$937,00. Para o ano de 2018 a previsão do novo salário é de R$979, desta forma o benefício será reajustado.

As regras e direito para receber o LOAS

Conforme explicamos de forma mais resumida acima, é preciso cumprir vários requisitos previstos em lei para ter direito ao benefício assistencial de um salário mínimo do INSS, mesmo sem contribuições previdenciárias. Confira quais são eles:

Quem pode receber

  • Idosos com 65 anos ou mais que não tenha contribuição com INSS e não esteja recebendo nenhum outro benefício do INSS, como aposentadorias, ou pensão por morte
  • Cidadão com deficiência física, mental, intelectual ou sensorial, que comprove incapacidade de conviver em igualdade social. Nestes casos é necessário passar por perícia médica.

Regras do BPC – Benefício da Prestação Continuada

Além dos requisitos acima, o cidadão também deve cumprir a regra de renda máxima para ter direito ao LOAS. A renda da família não pode ser maior que um quarto do salário mínimo, ou seja, somando-se a renda de todos os integrantes da família o valor total divido por quatro não pode ultrapassar R$234,25 (valor do salário/4).

Para fazer seu cálculo de renda e descobrir se tem direito a receber o benefício da prestação continuada – LOAS, some o rendimento de todos os integrantes de forma individual e divida pelo número de moradores da residência, esta será sua rende per capita.

☛ Quer receber artigos como esse direto no seu e-mail gratuitamente? Assine o blog.

Como dar entrada para receber o benefício

Se você cidadão cumpre todas as regras e requisitos do LOAS que listamos acima, saiba que pode dar entrada para receber seu benefício. O primeiro passo, é ser cadastrado no CadÚnico – Cadastro Único do Governo. Este cadastro deve ser feito no CRAS – Centro de Referência em Assistência Social de seu município, é através dele que o Governo controla os dados de milhares de brasileiros que podem ter direito a receber benefícios da previdência e de programas de renda.


LOAS: Conheça o Benefício de R$937 por mês do INSS para quem nunca contribuiu

Para o cadastro, leve os documentos pessoais dos integrantes da família e também os comprovantes de renda de cada membro, carteira de trabalho ou contratos.

Agendamento na Previdência

Quem já é cadastrado, pode realizar o agendamento diretamente no site da Previdência. Para agendar, acesse o site previdencia.gov.br e clique em “Todos os benefícios”. Em seguida, acesse o link “Benefício assistencial ao Idoso e à pessoa com deficiência”.

O agendamento é feito mediante informação do nome, data de nascimento e data de agendamento. Qualquer dúvida deixe seu comentário abaixo.

☛ Leia mais sobre Leis e Direitos dos Deficientes, aqui.
Fonte: Aponsetadoria Inss

Parceiros do blog