TESTE

O poder da mídia e sua influência negativa na vida das pessoas com deficiência.

Publicado em 18 janeiro 2012 por Damião Marcos

Olá pessoal da paz! Estamos aqui hoje para mais uma postagem, e desta vez vamos abordar um assunto muito importante e ao mesmo tempo preocupante.
Temos observado ao longo dos tempos o poder e a influência que a mídia exerce na grande maioria das pessoas, independente de qual mídia seja: televisão, internet, rádio, jornal etc.
É impressionante como pessoas falam se vestem, se alimentam , votam, e agem influenciadas fortemente pela mídia seja ela qual for, e não podemos negar que a mídia é forte e poderosa mesmo, coloca e tira pessoas do poder, dá e tira sucesso de bandas e cantores musicais e muito mais, e o que me deixa mais triste é observar pessoas que se modelam dentro desse formato e se tornam verdadeiros robôs controlados pelo sistema sem nenhum tipo de atitude e vontade própria.



Essa matéria coincide exatamente com o inicio do big brother Brasil edição 12, isso mesmo edição 12, programa que eu particularmente tenho nojo e aversão, mais a mídia e o marketing é tão forte em torno desse programa que consegue fazer com que milhares de pessoas fiquem de uma a duas horas no sofá de suas casas acompanhando um reality show capitalista e que não agrega nenhum tipo de valor moral e ético, pelo contrário faz uma apologia sutil de ensinamentos que eu tenho certeza que você não passaria para o seu filho.
Vencer a qualquer preço, sedução e nudismo, depravação, enganação, traição e por ai vai. Isso é a mídia exercendo seu poder e influenciando pessoas, essa foi uma pequena introdução do tema vamos para o assunto principal que é a influência negativa que essa mídia exerce nas pessoas com deficiência.  
Em geral, a grande maioria das pessoas com deficiência se identificam com programas de televisão. No entanto, é difícil vermos, por exemplo, uma novela em que haja um personagem com deficiência. É difícil também vermos um adolescente deficiente participar dos programas de auditório destinados a jovens. Por isso esses jovens têm dificuldades de serem incluídos na sociedade, pois apesar de terem diversas questões semelhantes aos outros adolescentes, não são acolhidos por conta de suas diferenças, que não são compreendidas devidamente.
 Se mídia começasse a olhar para o deficiente, como pessoas que têm qualidades, defeitos, limitações, potenciais, enfim para o ser humano e deixa-se um pouco de lado a perfeição e o modelo de beleza que a própria mídia impõe e requer, com certeza não seriamos tão descriminados e vitimados por influência negativa dessa mídia que funciona mais para depreciação da pessoa deficiente do que para ajudar, somar e extrair ao máximo os talentos e as potencialidades da pessoa com deficiência.

Esse texto foi elaborado por: Damião Marcos e Carolina Camara.

Esse tema é interessante do ponto de vista que se trata de um assunto que acaba despertando novos temas dúvidas e questionamentos e na verdade é exatamente isso que queremos aqui, portanto nos envie comentários sobre essa matéria, traga dúvidas e sugestões. Esse nosso espaço é totalmente democrático e plural, portanto o aprendizado e o saber será sempre a nossa eterna busca.