Últimas notícias ➞
Carregando...
Mostrando postagens com marcador Preconceitos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Preconceitos. Mostrar todas as postagens
Cadeirantes têm dificuldades  de acesso a repartições públicas

FALTA DE ACESSIBILIDADE – NEM MESMO ÓRGÃO PÚBLICO É CAPAZ DE DAR EXEMPLO

CADEIRANTES TÊM DIFICULDADES DE ACESSO A REPARTIÇÕES PÚBLICAS

Se para a maioria das pessoas já é difícil transitar no centro de Tubarão, imagine para quem depende de uma cadeira de rodas para se locomover. No trajeto de muitas vias há buracos em calçadas, falta de rampas, carros estacionados irregularmente na vaga destinada as pessoas com deficiência, entre tantos outros transtornos.

Além dos problemas no trânsito, a situação dificulta ao tentar entrar em repartições públicas, comércio e diversos lugares onde a acessibilidade ainda não foi adotada.

O cadeirante de Tubarão, Ademir Rodrigues vivenciou uma situação embaraçosa na última semana. Ao estacionar na vaga de deficiente, no centro da Cidade Azul, o tubaronense recebeu uma notificação por não portar o cartão de identificação de vaga especial. Após ser multado, dirigiu-se até a gerência de trânsito e mobilidade do município para obter a credencial.

Ao chegar lá, deparou-se com outro desafio: uma sequência de escadas. “Pior que ser multado por estacionar em uma vaga de deficiente, sendo deficiente, é não ter respostas dos órgãos competentes. Quando se dirige ao órgão responsável, olha só o tamanho da escada!”, publicou a irmã do cadeirante, Cristina de Souza, em suas redes sociais em revolta ao ocorrido.

Ademir, que há cinco anos ficou paraplégico após se envolver em um acidente, relata que diariamente enfrenta dificuldades para se locomover no município. “Eu até evito sair de casa para não me incomodar. Diversos locais, como o Fórum, a delegacia do centro, e outras repartições públicas e empresas privadas não têm acessibilidade para os cadeirantes”, alerta.

Gerência tenta amenizar falta de acessibilidade
O gerente de trânsito e mobilidade de Tubarão, Dionísio de Quadros, explica que o prédio onde funciona as fundações e secretarias de educação, segurança, trânsito e outros departamentos, realmente não dispõe de estrutura acessível aos portadores de deficiência. No entanto, para facilitar o acesso ao departamento, que fica no segundo piso do prédio, os cidadãos são atendidos por um funcionário que fica disponível para fazer a intermediação na entrada do estabelecimento. “Infelizmente, herdamos esta estrutura que não possui rampas de acesso para cadeirantes. Mas temos uma pessoa específica para atender os que precisam dos serviços da gerência”, explica.

Uso de cartão especial é obrigatório
A legislação de trânsito brasileira sofreu algumas alterações em atendimento ao Estatuto da Pessoa com Deficiência, e a principal delas é o uso obrigatório do cartão de identificação para estacionar nas vagas preferenciais destinadas a idosos e pessoas com deficiência. O cartão deve ficar dentro do veículo, em lugar visível, quando estiver nas vagas em vias públicas ou bolsões de estacionamento privados. O simples uso do antigo adesivo colocado no vidro do carro passa a não ter mais validade. “Se a pessoa que possui a deficiência foi multada, mesmo que faça o cartão, não será possível retirar a notificação. Todo o portador e idoso precisa fazer o cartão para utilizar a vaga especial”, reforça Quadros.

Quais as penalidades?
De acordo com a Lei Federal 13.146 de julho de 2015, a penalidade para o motorista que estacionar na vaga preferencial sem o cartão de identificação deixa de ser leve e passa a ser grave, com multa no valor de R$ 127,69, cinco pontos a mais na carteira, podendo ainda ter o veículo removido para o pátio, caso se recuse a desocupar a vaga preferencial. A alteração também determina que as vias e áreas de estacionamentos privados de uso coletivo, como estacionamentos de supermercados e shoppings centers, passam a ser regidas pelo Código de Trânsito Brasileiro. Isso significa que os veículos estacionados de forma irregular nesses locais também poderão sofrer as sanções previstas na lei.
Fonte: Jornal Notícias do Sul

Deixe seu comentário e nos diga por que você acha que até os órgãos públicos, que deveriam dar o exemplo, ainda vivem distantes de oferecer acessibilidade completa as pessoas com deficiência.
A Teoria e a Pratica no “Mundo das Deficiências”

A Teoria e a Prática no “Mundo das Deficiências”

Acho que foi duas semanas atrás, fiz um post fazendo uma pergunta e refletindo sobre ela. Hoje, eu quero continuar pensando sobre o assunto, aproveitar para ampliar, quem tem uma deficiência sabe muito bem, que a teoria e a pratica nem sempre funciona junto, infelizmente!

No tal texto, eu questionei se você namoraria com uma pessoa com deficiência?
Vou contar rapidamente, o pouco que vi nestas ultimas semanas. Estou com problemas com meu namorado, terminarmos e entrei no Tinder, para aliviar a cabeça, enquanto a nossa relação não se resolve... Ai comecei a conversar com uma pessoa que também tinha uma deficiência, a gente mal conversou, falei logo que tinha paralisia cerebral. Claro, que eu não quero ninguém, mas sim voltar para o meu namorado... Então falei de inicio para fazer o teste, fiz com dois, ambos usavam cadeira de rodas, eles simplesmente me deletaram!!! Como assim?


Gostaram das minhas fotos, tal, tal e tal, quando viram que eu não era "perfeita", jogaram fora, mas eles também, segundo o senso comum, não são perfeitos!!!!!! Ah, quer dizer que tem também preconceito dentro do próprio "mundo das deficiência", eita!! Então o preconceito é bem mais fundo, pois todos queremos o padrão, o "perfeito". Mesmo aqueles que têm uma deficiência e já levaram um fora do outro, só porque era cadeirante.

A Teoria e a Prática no “Mundo das Deficiências”

É fácil falar, reclamar e na hora correr da raia.
A mesma coisa acontece nas empresas, o dono, diretor, enche a boca para falar que a empresa tem um puta trabalho de inclusão, que tem mais funcionários com deficiência, do que a cota exige. Ai, você vai ver, são todas as vagas que exigem menos escolaridade ou pessoas que "quase" não tem deficiência. Usei esse termo para deixar claro o que estou falando, mas é errado falar assim, ok???

A Teoria e a Prática no “Mundo das Deficiências”

Preconceito é camuflado e mais profundo do parece, acabar com ele é algo bem demorado, tem que que mexer na cultura. Não é um trabalho fácil, porém podemos começar fazer, regar, incluir, quebrar conceito, criar outros ou não. 

Precisamos refletir sobre a sociedade, sobre nós mesmos, antes de reclamar do preconceito do outro, olhe para si e questione se você não faria a mesma coisa!! Voltando ao início do post, teorias e  a prática, racionalmente, elas deveriam andar mais ou menos juntas, né?? 

O nosso discurso deve ir de encontro com as nossas atitudes, então se você fala que se você conhecesse uma pessoa com deficiência e  rolasse algum clima, você certamente ia deixar acontecer para ver o que rola. Ou se você fala que sua empresa é verdadeiramente inclusiva e tem sim pessoas com deficiência trabalhando em toda a empresa.

Em ambas as situações, a teoria é perfeita, não há preconceito, a deficiência não é o que define o sujeito, legal. No entanto não é o que acontece na prática, onde a deficiência é o ponto alto, o indivíduo simplesmente é deficiente e acabou!!!!!

Vamos pensar, se colocar no lugar do outro, conhecer a diversidade, trazer isso para a nossa cultura e as pessoas com deficiência também, como vocês querem que os outros não tenham preconceito, se você que conhece, vive, e tem????

U m texto de Damião Marcos e Carolina Câmara.
A Deficiência, não me Define, mas sou Definido por ela!!!

A Deficiência, não me Define, mas sou Definido por ela!!!

Sou mulher!!!! Sou filha!!!!! Sou irmã!!!! Sou tia!!!! Sou namorada!!!!! Sou psicóloga!!!! Sou palestrante!!!! Quero ser mãe!!!!!!
Mas não sou deficiente!!! Nem vitima da vida!!! Eu tenho sim, uma deficiência, a tal da bendita paralisia cerebral. Ela faz parte sim da minha vida, ela me faz adaptar várias tarefas do cotidiano, enche o meu saco, me deixa em diversos momentos, louca, alucinada, triste, confusa, pois não é fácil ter um corpo maluco, que não te obedece!!! No entanto a deficiência, não me define, eu tenho que conviver com ela, ela faz parte de mim, porém ela não sou eu, sou muito mais que uma paralisia cerebral!!!

Contudo não é assim que a sociedade vê as pessoas com deficiência, ai que começa o preconceito, a exclusão, a desigualdade, aqui é que encontramos o maior desafio das pessoas com deficiência. Os outros te olham e só enxergam uma coisa estranha, totalmente fora do padrão e aí não querem nem saber se ali também tem um sujeito, igual a você, com necessidades bem parecidas com as suas.

A Deficiência, não me Define, mas sou Definido por ela!!!

Ela, eu no caso, também preciso comer, aliás, amo comer! Também precisamos fazer xixi, cocô, ah, sexo!!! Somos capazes de estudar, conversar!!! Precisamos igual a você, trabalhar, afinal dinheiro não cai do céu!!! Também, precisamos nos distrair, sair, ir a um shopping, um barzinho, uma balada, balançar o esqueleto!!!

Viu? Como as minhas necessidades, às necessidades de uma pessoa com deficiência são semelhantes às suas?
Seu cabelo te define? Seu corpo te define? A sua cor te define?
Então, por que você acha que a deficiência me define?
Por que você olha apenas para a deficiência e acha que ela sou eu?
A gente, seres humanos, temos diversas características, peculiaridades, por isso é impossível alguém definir um sujeito apenas pela cor, pelo cabelo, pela deficiência...

Vamos se livrar dos rótulos que a sociedade, a gente criou, né? Não sei o porquê inventamos esta praga, é uma praga mesmo, pois querendo ou não, um dia todo mundo acaba sendo vitima dos rótulos!!! E eles são tão superficiais, sem base, mas geral um mal profundo na sociedade, resultado disso, é a ignorância com pessoas que fogem do padrão, aí vem o preconceito, a exclusão, os olhares das pessoas para o diferente...

A Deficiência, não me Define, mas sou Definido por ela!!!


Todas as dificuldades que eu, e as pessoas com deficiência passam, de não conseguir trabalho, de certas pessoas mal falarem comigo, outras acham um absurdo eu namorar, não entendem como meus pais apostaram tanto em mim... Para essas pessoas, a deficiência, me define completamente, então o fato, de ser mulher, filha, psicóloga, palestrante e etc, não significa nada.

O que importa, é a minha deficiência e o sentimento de piedade que elas têm por mim, algumas nem pena sentem, têm desprezo total!!! E é isso que atrapalha demais a vida das pessoas com deficiência, muito mais que a deficiência em si! Eu sempre digo, a paralisia cerebral é chata, mas eu faço tudo que eu quero, o que me limita são esses pensamentos pequenos que, de fato, me limita muito!!!

Vamos entender e passar adiante, eu não sou a deficiência e ela não me define!!! Ok??

Um texto de Damião Marcos e Carolina Câmara. 
Cotas para Pessoas com Deficiência nas Empresas, Ruim com ela, Pior sem Ela?

Cotas para Pessoas com Deficiência nas Empresas, Ruim com ela, Pior sem Ela?


Cotas para pessoa com deficiência nas empresas, ai? Ruim com ela, pior sem ela? Ou não?
Vamos conversar sobre este assunto, tão polêmico e que merece ser pensado e eu acho que até tem solução, mas será que a população quer trabalhar para uma verdadeira inclusão?

Já adianto logo, não sei se vou responder todas essas perguntas, pois não sei se eu sei, outra, meus posts são muito mais para a gente refletir, pensar junto e tentar colocar aos poucos em pratica!!!
Voltando, na época que não tinha cotas, eu era criança, adolescente, não pensava em trabalhar, não sabia como era não tive esta vivência.

No entanto sei, tenho certeza que empregava muito menos pessoas com deficiência naquela época, do que hoje. Meu pai trabalhava em uma multinacional e como ele sempre foi louco por mim, pensando no meu futuro, ele começou a contratar pessoas com deficiência, não por causa da Lei, mas sim porque ele queria mudar a cultura, para quando eu chegasse lá na frente, fosse mais fácil... O pessoal da empresa achou a ideia dele maluca, porém compraram a ideia e lá tinha pessoas com deficiência trabalhando de fato, cada um no seu cargo...


Passaram se anos, meu pai saiu da empresa, e eu por outros motivos fui chamada lá, pela pessoa responsável pela área de diversidade, para fazer um trabalho concreto de inclusão!!!

Felicidade era pouco, eu era um oceano de felicidade, tudo perfeito, anos depois, eu ia dar continuidade no que meu pai deu início um dia pensando em mim e na empresa que eu cresci que tenho um eterno carrinho.

Contudo, não deu certo, a empresa foi vendida e pelo jeito o comprador não tem a cultura da inclusão!!!

Cotas para Pessoas com Deficiência nas Empresas, Ruim com ela, Pior sem Ela?

Você percebe que a inclusão é uma questão cultural, se alguém se manifesta dentro da empresa, mostra o porquê ela é importante para todos, que a pessoa com deficiência também é capaz como qualquer outra pessoa, dessa forma a inclusão acontece.

Se tivéssemos uma pessoa assim, em cada empresa, em cada esquina, não íamos precisar ter Lei de Cotas, ia ser perfeito!!!!!! Mas já que não temos, eu acredito sim que precisamos da lei, a ideia dela é muito boa e ela é fundamental para a inclusão.

Cotas para Pessoas com Deficiência nas Empresas, Ruim com ela, Pior sem Ela?

O erro não é ela, mas a sociedade, as empresas que tiveram a capacidade de adaptar a lei conforme os seus interesses, elas não querem empregar de fato a pessoa com deficiência, não querem nem experimentar, tentar!! O preconceito, a ignorância, não permite...

É necessário talvez reformular a Lei de Cotas, não sei como, mas fazer com que as empresas empreguem o profissional com deficiência e não uma pessoa com deficiência para ficar lá atoa  fazendo de conta que existe inclusão!!!!

Um texto de Damião Marcos e Carolina Câmara. 
Pra que a Pessoa com Deficiência precisa de Currículo???

Pra que a Pessoa com Deficiência precisa de Currículo???

Pra que a pessoa com deficiência precisa de currículo??? Eu sempre me fiz esta pergunta, pois realmente nenhuma empresa olha o currículo da pessoa com deficiência, eles só estão interessados em cumprir a bendita cota.

Elzinha aqui, já cansei de passar por isso, não sei se já contei aqui no blog, então vou comentar. Eu desde o terceiro ano de faculdade, tento um estágio e depois um trabalho e toda vez que chegava na entrevista, eles faziam uma cara de assustados ao ouvirem as minhas perspectivas de trabalho. Alguns nem chegavam a me falar a proposta, a vaga, já outros falavam sem o menor receio e ainda diziam que iam me ligar até o final da semana que vem!!!! Claro que nunca chegaram a ligar né??

Teve várias empresas que gostaram de mim, mas elas não são capazes de abrir a mente e perceber que, talvez aquela pessoa, no caso eu, possa ser interessante para a empresa. Que apesar da deficiência, de todas as limitações físicas, eu poderia levar lucro, beneficiários para ela!!!!!

A sociedade ainda não tem a capacidade de aceitar que a pessoa com deficiência é muito mais do que apenas uma deficiência. Que pode ter sim uma profissão, ser altamente qualificado, como qualquer outra pessoa. Quando a sociedade conhecer de fato o que é uma deficiência, qual é o seu significado, perceber que a pessoa com deficiência antes da deficiência, vem o sujeito. Ai sim, o currículo da pessoa com deficiência vai ter um verdadeiro sentido, significado. As empresas vão avaliar o candidato como se deve!!

Pra que a Pessoa com Deficiência precisa de Currículo???

Hoje, a gente só questiona: Pra que a pessoa com deficiência precisa de currículo??
As empresas olham para a pessoa com deficiência como se fosse moeda, todas iguais, moedas de troca. As empresas colocam essas”moedas" lá dentro e em troca, não pagam a tal multa. É assim que funciona simples, ótimo custo beneficio, para os brilhantes empresários, executivos, que trabalham com mercado, dinheiro e acham que o ser humano também é um simples objeto. E o ser humano com deficiência, piorou, é um objeto quebrado, inútil, todos iguais!!!!! 

Pra que a Pessoa com Deficiência precisa de Currículo???

Peguei pesado? Peguei mesmo, sabe por que????
Porque não é nada fácil, você se preparar para uma entrevista, criar expectativas,  fazer planos, enfim todos aqueles sentimentos que qualquer um tem quando é chamado para uma entrevista. E ai, tudo desmorona em questão de segundos e isso se repete diversas vezes. Ai, você percebe que o erro não está em você, que o buraco é muito mais embaixo e não tem muito que a gente possa fazer!!! Infelizmente, não tem como ficar livre da deficiência, mas também não podemos nos fazer de vítima das circunstâncias!!!!

É preciso mesmo mostrar as caras, deixar a sociedade bater, é porque a cada entrevista que eu ia, era um tapa, daqueles que doía que deixavam marcas. Essas marcas doíam e ainda doem, porem também me ensinaram muito, me ensinaram o que eu faço hoje, o meu atual trabalho. O meu currículo é formado por marcas, cicatrizes e ainda não tive nenhuma empresa, até hoje,  que leu o meu currículo!!!!!

Um texto de Damião Marcos e Carolina Câmara.
As Paralimpíadas foi um exemplo de Inclusão, mas por que a Mídia Ignora?

As Paralimpiadas foi um exemplo de Inclusão, mas porque a Mídia Ignora?

Há pouquíssimo tempo, tivemos as Paralimpíadas, posso falar com convicção, foi quase tudo, um espetáculo. Eu fui, usei metrô e ônibus, acessibilidade perfeita!!! O atendimento incrível, pessoal simpático, disposto a ajudar, nota mil!!!

O povo incrível, os torcedores fantásticos, foi um show a parte, de arrepiar mesmo. Ninguém estava vendo a deficiência, mas sim atletas de alto nível, defendendo o país.

Isso é um ótimo exemplo de que é possível sim a sociedade começar a olhar para a pessoa com deficiência da forma como, realmente, somos, com qualidades e defeitos, como qualquer ser humano. Como já falei no YouTube, parabéns Rio, foi provado que a inclusão não é utopia. Por isso no período que fiquei lá, me arrepiei me emocionei, me enchi de esperança...
As Paralimpíadas foi um exemplo de Inclusão, mas por que a Mídia Ignora?

Mas nem tudo são flores!!! E aí, eu te questiono, o publico compareceu em peso, o Rio de Janeiro fez um excelente trabalho e os atletas nem se fala, a equipe brasileira foi brilhante. Agora me diga, por que as emissoras brasileira dos canais abertos não transmitiram nem um jogo???? 

Desprezo total!!!
Fizeram uma baita cobertura nas Olimpíadas, bem legal. E nas Paralimpíadas? Nadaaaaa!!!!
A mídia podia ter explorado as Paralimpíadas, visando a inclusão, mostrando para quem não foi, outro olhar perante a pessoa com deficiência.

Eu sei, não vou ser hipócrita, não ia dar a mesma audiência que deu nas Olimpíadas, porém uma Globo da vida tem condições de bancar, transmitir alguns jogos. Mostrar que tudo bem jogar vôlei sentado!!! Tudo bem, correr sem perna!!!!! Tudo bem jogar basquete na cadeira de rodas!!!

A mídia pode fazer um excelente trabalho, visando uma real mudança na vida da pessoa com deficiência. Quando digo mudança, falo do olhar, da inclusão verdadeira, de uma conscientização, da sociedade olhar para a pessoa com deficiência como sendo um sujeito, sem sentir pena, nem medo.

As Paralimpíadas foi um exemplo de Inclusão, mas por que a Mídia Ignora?

Vamos mídia, meios de comunicação, se mexer, falta muita informação sobre as deficiências, as pessoas que vivem com elas e vocês podem fazer isso. Já que tem um poder de atingir milhares de pessoas e pode ajudar no trabalho a favor da inclusão...

No entanto a gente sabe que eles não têm nenhum interesse nisso, pois não parece ser lucrativo. Não acho que é questão de preconceito, discriminação ou qualquer coisa do tipo, acredito mesmo que tem haver com dinheiro, lucro.

 À mídia acha que a sociedade, o ser humano, é seu mercado, eles manipulam como eles quiserem, como lhes convém, visando sempre o capital.

Então, se mostrar um jogo de vôlei sentado, não vai trazer lucro imediato, então vamos ignorar!

Um texto de Carolina Câmara e Damião Marcos
Cleo Pires e Paulinho Vilhena não me Representam!

Cleo Pires e Paulinho Vilhena não me Representam!


O post de hoje não podia ser outro tema, que não fosse à campanha da revista Vogue. Ela colocou uma foto da Cleo Pires e do Paulinho Vilhena, um sem braço e o outro sem perna, falando que somos todos paralímpicos, por quê???

Vamos refletir primeiro, qual era a intenção dessa campanha? Eu não sei, não entendi e você sabe???
Para mim, só mais um sensacionalismo, mais uma vez, usaram a deficiência para chamar a atenção para o nada!!! Uma campanha vazia, que não diz nada, imbecil...

Aí, eu volto a falar, por que alguém sempre tem que fingir na mídia uma deficiência????  Essa eu sei responder! A mídia sempre usa a deficiência como lhe convém, ela não quer jamais sair do padrão de perfeição que ela inventou, impôs e a sociedade aceitou.

Usando esse raciocínio, não rola, de jeito nenhum, colocar uma pessoa com deficiência para fazer a campanha!!!  Para que??? A pessoa com deficiência não é "perfeita", foge completamente de tudo que ela impõe. 

No entanto a revista quer ficar sempre por dentro das coisas que estão acontecendo, no caso, agora as Paralímpiadas, então vamos fazer uma graça, vamos brincar!!! Tira o braço da Cleo Pires, estamos assim falando sobre a diversidade, as Paralimpíadas!!! Oi, não!! Tudo errado!! Se vocês querem mesmo fazer algo para a diversidade, por favor, chame uma pessoa com deficiência real.

Cleo Pires e Paulinho Vilhena não me Representam!

Têm várias, modelos, atletas, gente, inclusive, lindas, que vivem com a deficiência, sabe, realmente, o que ela significa. Não precisa cortar o braço de ninguém, não é ficção científica. É sim, falta de respeito, totalmente sem sentido. 

A Cleo Pires e Paulinho Vilhena não me representam, ela é atriz, linda, não tem nenhuma deficiência física, não sabe o que é ter uma deficiência, sofrer preconceito, discriminação e etc. vejam bem, não estou criticando a Cleo, pelo contrario, gosto do trabalho dela e do Paulinho, mas a realidade deles é, completamente, diferente da nossa. 

Não porque ela é atriz, linda e competente, competente também somos, rsrsrssrs, modéstia também!!! Só não sou atriz, não tenho talento, graças a Deus, pois se tivesse iria brigar pelo meu espaço na Globo. Ia seria difícil, mas não impossível...

Conclusão, era melhor não te feito, pior do que ignorar a pessoa com deficiência, é fingir que faz algo pela inclusão, pela diversidade e no fundo não faz nada, só tenta mostrar que a pessoa com deficiência é mesmo incapaz!! Eu falo sem duvida, é isso que tá acontecendo, pessoas usando todo o movimento da inclusão, para ganhar dinheiro, fama ou sei lá o que. São essas pessoas que eu quero desmascarar...


Um texto de Damião Marcos e Carolina Câmara.
É Falta de Oportunidade ou é Ilusão?

É Falta de Oportunidade ou é Ilusão? 

Tem algo de errado acontecendo com a inclusão! Tudo bem, eu canso de falar aqui no blog, no meu blog, nas redes sociais, nas palestras, que a inclusão, acontece totalmente errada, que a sociedade não faz nada para uma verdadeira inclusão.

No entanto tem pessoas com deficiência, como eu, que conseguiram fazer uma inclusão real. Isto é, estudamos, nos formamos, falamos outras línguas, temos pós-graduação, mestrado, doutorado e tudo que atualmente o mercado exige.

Porém a maioria das pessoas com deficiência, são obrigadas a interromper a carreira por aqui, porque o mercado, a sociedade, não dá reais oportunidades para a gente!!! Isso é fato, a sociedade não consegue olhar para a pessoa com deficiência, como sendo um profissional competente.

Ela enxerga, apenas, a deficiência, como um ser com tantas limitações, pode trazer lucro para a empresa, pode ser um excelente profissional???
Infelizmente, é essa a mentalidade do pessoal, em relação as pessoas com deficiência.

Por isso toda essa dificuldade de fazer uma inclusão de verdade. Aí, a sociedade não consegue oferecer oportunidades reais e ai????

Quando vamos mudar essa situação? Ou será que não vamos mudar? Vamos ficar nessa inclusão mascarada? Brincando com as pessoas com deficiência, fingindo que as respeitam!!!

É Falta de Oportunidade ou é Ilusão?

O Maior inimigo da Inclusão é a Mídia.

Ah, aproveitando o post, vamos pensar na mídia, alguém já viu, nestes programas de televisão, aonde as pessoas vão para cantar, algum candidato com deficiência? Eu, nunca vi!!! Será que não tem, nenhum cantor (a) com deficiência???? Ou será que a mídia não quer????  Será que não tem um cantor cadeirante??? Onde eles estão???


Não temos inclusão.

Artista também não se vê um, nas novelas! Vejo sim, artistas fazendo papel de pessoa com deficiência, por quê???
Por que a sociedade faz questão de ignorar, esconder apessoa com deficiência, excluir.

Fingir que estamos fazendo, trabalhando para a diversidade, mas no fundo é uma inclusão perversa, onde ilude o sujeito com deficiência, dar esperança e na hora H, não é nada daquilo. 

Isso já aconteceu centenas de vezes comigo, ia às entrevistas, a pessoa até parecia ficar "encantada" comigo, contudo a proposta nunca se concretizava!!!! Vivi vários lutos, sofri muito, hoje eu, já consigo descrever cada passo, a expectativa, a ansiedade, o sonho, à espera eterna, a falta de resposta, a dor, o luto, a falta total de expectativa na vida, a realidade nua e crua, aí volta, não sei como, a vontade de lutar novamente, de viver!!!

E ai? Por que a sociedade faz essa maldade com as pessoas com deficiência???  O que tem de gente ganhando dinheiro com essa inclusão perversa, é absurdo e ninguém faz nada para interromper isso.. Isso realmente me revolta!!!!!

O que você me diz dessa situação???

Um texto de Damião Marcos e Carolina Câmara.
Se usar esse texto, coloque os créditos e a fonte do site, evite problemas judiciais.
Você é Capacitado (a), mas é Deficiente. Então sem Chances pra Você!!!

Você é Capacitado (a), mas é Deficiente. Então sem Chances pra Você!!!

Para mim, é tão fácil falar da dificuldade da pessoa com deficiência em arrumar um emprego da qual ele (a) é capacitado (a). Deixa explicar melhor, um cargo que vá de encontro com o perfil dele (a), com a sua profissão.

Bom, para começar, é difícil porque a sociedade acha que a pessoa com deficiência não tem uma profissão, então separa nas empresas às vagas mais básicas, chamamos de subempregos.

São vagas que não exige qualificação, o trabalho é simples e dificilmente a pessoa vai crescer na carreira, e dentro da empresa.

Este é o pensamento da maioria das empresas, elas acham que estão sim fazendo inclusão e que tá bom, é isso aí, trabalhamos com diversidade, somos uma empresa com responsabilidade social!!!!

E ai, quando você chega na empresa, no caso fui eu, que já fui em algumas, para oferecer palestras sobre inclusão. Elas se assustam, não querem de jeito nenhum, e dão exemplos absurdos de inclusão, que quem trabalha,  e busca a real inclusão, tem vontade de esganar toda a equipe da empresa...

Então me questiono o porquê, ignorância, de fato, não sabem fazer? Ou será que encontraram esse jeito para oferecer subempregos, pois da menos trabalho, incomoda menos? Ou será que realmente não acreditam na capacidade das pessoas com deficiência??

Hoje, amanhã já não sei, digo que temos o sub emprego, para mascarar a exclusão, por causa de todos os questionamentos que fiz ali em cima e mais um pouco.

Primeiro, é fato, que a inclusão  é algo "novo", difícil de fazer mesmo, exige que a sociedade saia da zona de conforto. Então é claro que o pessoal tenta tapar o sol com a peneira, fazendo o mínimo necessário, que é cumprir o número que a Lei de Cotas exige...

Qualificação engolida pela deficiência!

Qualificação engolida pela deficiência!

Então a pessoa com deficiência como eu, uma paralisia cerebral que comprometeu bem a parte motora, porém estudou, tem uma profissão, é qualificada, fica totalmente excluída do mercado de trabalho. 

Me usei como exemplo, mas tem varias pessoas ai no mudo como eu, perdida, excluída, sem poder trabalhar, fazer o que é capaz!!! 

No meu caso, ainda é pior, porque trabalho exatamente com a inclusão, sei que o povo não sabe e não quer fazer, quando eu tenho oportunidade de fazer, o pessoal que trabalha com isso, arruma um jeito de me barrar!!!

Como eu falo muito aqui no blog, a gente tem que ir conscientizando a população que o sub emprego não é e nunca foi sinônimo de inclusão, explicar o que é e sua importância ai sim. E digo mais, é preciso que a sociedade mude a visão que tem em relação as pessoas com deficiência.

A sociedade, as famílias das pessoas com deficiência e a própria pessoa têm que sair da alienação, buscar seus direitos, se valorizar. 

Quando falo isso, quero dizer que não é um favor a empresa te oferecer um subemprego, pelo contrário, ela só esta te dando a vaga, porque somos alienados, aceitando qualquer coisa!

E você o que pensa sobre isso?

Um texto de Damião Marcos e Carolina Câmara.
Por que a Inclusão Social não Acontece de Verdade?

Por que a Inclusão Social não Acontece de Verdade?

Ah, são tantos os motivos que o blog resolveu enumerar alguns e pedir para que você leitor nos ajude a completar essa vasta lista.

Então vamos lá, não temos inclusão de verdade por que:

  • Uma grande parcela da sociedade não enxerga as pessoas com deficiência, como sendo ser humano comum, com limitações e potenciais...
  • As pessoas com deficiência são vistas por muitos como totalmente incapaz.
  • Lugar da pessoa com deficiência é em casa. Nesse quesito já "evoluímos", pois antigamente, o sujeito com deficiência ficava mesmo era no hospital.
  • A pessoa com deficiência é sempre colocada como, café com leite!!!
  • As empresas que são obrigadas, pela lei de cotas, a empregar pessoas com deficiência, separam para essas pessoas as vagas mais básicas e simples, o que eu chamo de subemprego. E não deixam o deficiente crescer dentro da empresa.
  • A acessibilidade fica sempre em terceiro, quarto plano, nunca é prioridade.
  • A pessoa com deficiência é sempre visto como coitadinho (a)!!!
  • A grande maioria das pessoas olham primeiro para deficiência, para só depois, bem depois, olharem para o sujeito!!!
  • Pessoa com deficiência não tem vontades, é um objeto!!!
  • A mídia coloca uma pessoa para fazer o papel de uma pessoa com deficiência, mas é incapaz de colocar o sujeito que realmente tem uma deficiência, para fazer o papel!!!!!
Por que a Inclusão Social não Acontece de Verdade?

Como falei no início do post, gostaríamos da participação do leitor, nos ajude a completar esta lista e conscientizar a sociedade sobre cada item, e da  importância que se faz a inclusão social para todos.

Inclusão não é só para quem está excluído, e sim para o ser humano que é considerado "diferente", então vamos juntos buscar uma verdadeira inclusão social em nosso país.

E você amigo (a) acha que a inclusão, não acontece de verdade porque?

Um texto de Damião Marcos e Carolina Câmara.

Parceiros do blog